pt Português
Select Page
Giverny: uma imersão virtual no universo impressionista

Giverny: uma imersão virtual no universo impressionista

Um pequeno desvio para a Normandie seguindo os passos Claude Monet, ça vous dit? O Musée des impressionnismes de Giverny vai na onda (ufa!) de outros museus e coloca on line todas as suas coleções em tempo de isolamento. Na terra que adotou o autor das Ninféias (“Nymphéas”), Giverny é sede também da Fondation Monet, que não é nada mais nada menos que a casa do próprio Monet, venham descobrir o interior.

Um mergulho fascinante no coração do impressionismo 

O nome “impressionismo” vem do célebre quadro de Monet “Impression soleil levant” ou, em português, “Impressão do sol nascente”, que represente o porto de Havre nas primeiras horas do dia, que foi feito unicamente com pequenas pinceladas imprecisas. Para os adeptos do movimento, o objetivo não é mais reproduzir de maneira naturalista, mas retratar uma atmosfera, um momento fugaz. Se costumamos compreender e captar o impressionismo relacionado à artistas franceses como Cézanne, Pissarro ou Degas, e lugares como Barbizon, Le Havre ou Honfleur, é interessante saber que o movimento foi exportado para o exterior para florescer graças aos pincéis dos artistas espanhois, americanos e até japoneses.

O Museu do Impressionismo visa, então, contar a história da corrente que revolucionou a pintura no século XIX: suas origens, sua influência geográfica e sua influência na arte moderna. O museu oferece uma caminhada virtual no  Google Arts & Culture e permite descobrir centenas de obras e documentos de sua coleção. Como bônus, é possível explorar exposições passadas, como “Monet-Auburtin”, “Hiramatsu-reiji em Giverny” e outras obras de tirar o fôlego.

Mais lúdico, o Museu do Impressionismo também lança um site que permite descobrir o universo de 70 artistas de todo o mundo que foram influenciados pelo movimento! A  Galaxie des impressionnistes, com seus gráficos estelares inventivos, mergulha no universo da corrente pictórica em torno de treze temas como “Os Nabis” ou “A Aventura Americana”. A oportunidade de fazer uma pausa cultural e fazer uma excursão a Giverny de casa. Quem sabe, pode fazer você querer organizar um passeio depois que o confinamento tiver passado! Para entrar na galáxia, é aqui –>  AQUI

monet-giverny-paris-zigzag

Belém em um dia

Conexão Londres – Belém na área \o

Nada melhor do que visitar uma cidade como um local – e, melhor ainda, com A local: a Dany Colares. 

A Dany vai te levar pra um passeio de um dia na mangueirosa. Um dia é pouco? É! Mas aproveita esse vídeo gostoso e tropical que vem mais coisa pela frente. 

 

 

 

Como ir de trem de Paris a Biarritz

Como ir de trem de Paris a Biarritz

 foto: reprodução
foto: reprodução

Se eu tiver a oportunidade de ir de trem, eu sempre o escolho. Já falei isso por aqui, não é? Não custa repetir porque, muitas vezes, quando alguém lê:

       duração da viagem de trem: 5 horas
       duração da viagem de avião: 2 horas

Pensa: “Nossa, mas é muito mais rápido ir de avião. Vou de avião, né?” Não necessariamente.  Pra ir de trem, saímos geralmente do centro da cidade que estamos até o centro da cidade de destino. Fora isso, só precisamos estar uns 20 minutos antes da partida, sem precisar fazer check in e ainda com a possibilidade de levar malas sem custo adicional (neste caso, duas e nosso equipamento de surf) .

Quando viajamos de avião, os aeroportos ficam um pouco mais distantes do centro, temos que chegar bastante tempo antes, pagar por malas adicionais (neste caso, pagaríamos mais pelas pranchas) e uma séries de outras coisas que eu não acho práticas quando voamos – como o desconforto dos assentos e a impossibilidade de dar uma voltinha pra esticar as pernas.

No final das contas, pra mim, além de perder o mesmo tempo de viagem, ainda encontro muito mais praticidade no trem. Pensem nisso na próxima vez que forem escolher um ou outro.

IDTGV

O nosso trem saiu da Gare de Montparnasse, uma estação confortável, pequena e não muito lotada, ainda mais compararmos a outras gares parisienses (como a de l’Est ou du Nord). Rapidinho chegamos ao nosso vagão e voilà.

 foto: reprodução
foto: reprodução

A viagem até Biarritz dura aproximadamente 5 horas e passamos por algumas cidades lindas, como Bordeaux. Por sinal, estou pensando em ficar uma noite na volta e conto tudo por aqui

Dica pra quem viaja de trem: eu contei no snap, na hora da viagem, mas repito aqui. Podemos escolher o sentido em que vamos sentados: se vamos no sentido que o trem viaja ou de costas para o caminho. Eu, agoniada da maneira que não gostaria de ser, não suporto viajar de costas. Se vocês forem agoniados também, não esqueçam de reservar o assento certo. O serviço é gratuito, mas muita gente não sabe ou esquece.

O trem é bem aconchegante e tem toaletes em quase todos os vagões. É bem limpinho – normalmente, né? Não posso me responsabilizar por todos, hehe. Vou mostrar umas fotinhos de como ele é, tiradas do site deles.

 foto: reprodução
foto: reprodução

Chegando em Biarritz, logo na saída da estação, há um ônibus que nos leva ao centro da cidade e custa 2 eurinhos, apenas. A viagem dura uns 15 minutos.

 

 

 

Paris Picnic: o piquenique delivery da cité

Paris Picnic: o piquenique delivery da cité

Mal voltei a morar em Paris e já “descobri” algo fantástico que, é óbvio, já existia há 3 anos. Digo óbvio porque, me digam, quem não pensaria em criar um piquenique delivery na cidade da “farofada” gourmet? 😛 Oh la la!

O que seria mais parisiense do que espalhar uma canga (paréo) pelo Champ de Mars ou pela borda do Sena, cheio de quitutes que incluem seguramente uma baguette, queijos e vinhos, piquenicando durante a tarde? Se tu não te preparaste pra este momento tão francesinho, o Paris Picnic se engarreda de tudo. Produtos frescos, locais junto com o próprio paréo, copos, pratos, talheres. Entre no site, escolha o seu piquenique (eles tem alguns tipos), local e hora e… Voilà! 
 

 Foto: reprodução
Foto: reprodução

Com tanto sucesso, eles abriram um próprio restaurante no 3ème arrondissement (3º distrito), no qual podemos comer no próprio local ou levar tudinho pra comer nas margens do Sena, ou do canal Saint Martin, ou em parques, etc. 

ParisPicnic Restaurante
16 Rue Notre Dame de Nazareth, 75003 Paris, France

+33 7 81 35 13 21

bonjour@parispicnic.com